COOPERATIVA AGROPECUÁRIA DE PEDRINHAS PAULISTA
Cooperativa Agropecuaria de Pedrinhas Paulista


















  CAP chega aos 66 anos e não faltam motivos para celebrar esta importante data

  O agronegócio e a nossa região sempre andaram de mãos dadas. E a cidade de Pedrinhas Paulista é movida em função da agricultura e em torno da Cooperativa Agropecuária de Pedrinhas Paulista. Não é exagero afirmar que não existiria uma cidade tão próspera se não tivessem inaugurado a Cooperativa em 1954.
   E dos motivos de orgulho, e até me emociono em dizer, é que nestes 66 anos de atividade, em 44 deles a cooperativa esteve na direção da família Di Nallo: 18 anos com meu pai e 26 anos comigo.
   assamos por muitas crises, como a de 1994 por motivo da geada, onde a cooperativa teve muitas dificuldades. Agradeço a Deus por ter a sorte de nunca passarmos outra crise tão grande assim na minha gestão. Sempre tivemos safras boas e preços bons e isso ajudou a fortalecer a cooperativa.
  É muito gratificante ver a evolução da cooperativa nestes anos e ver que, através do trabalho de todos, conseguimos crescer bastante. É emocionante falar da cooperativa porque aqui temos 180 funcionários, ou seja, são 180 famílias que vivem em função da entidade. Além de cerca de 70 safristas que são contratados por 90 dias, duas vezes por ano. Ou seja, são mais seis meses de trabalho por ano que a cooperativa sustenta mais estas 70 famílias.

   A cidade de Pedrinhas Paulista é uma linda cidade que todos gostariam de morar e, diversas benfeitorias realizadas na cidade, são em função do repasse da cooperativa ao município. Então a Cooperativa também exerce um trabalho social beneficiando toda população de forma indireta com saúde, educação, bem-estar social e qualidade de vida.
   Quando falamos na importância da cooperativa, precisamos dizer que 50% do que os cooperados produzem são exportados. Desta forma, nós ajudamos a alimentar não somente brasileiros, mas diversos países que importam nossa safra.
  Cheguei aos 80 anos e não sei até quando estaremos aqui. Mas enquanto estivermos, nosso objetivo é continuar trabalhando para manter todo patrimônio que conquistamos ao longo dos anos sempre com muita cautela e segurança, até porque isso é dos agricultores cooperados e temos que zelar por suas famílias que tanto lutaram conosco pela cooperativa.
   Queremos continuar realizando melhorias constantes, sempre mantendo o que já conquistamos. Preservando, acima de tudo, o bom nome da CAP e a segurança que ela proporciona aos cooperados. Prova disso é que, com preços tão elevados como os atuais, temos armazenados na cooperativa, mais de 103 mil sacas de soja e 1.030 mil sacas de milho. Isso mostra que o cooperado prefere deixar seu dinheiro na cooperativa do que no banco.
  Isso se deve à credibilidade e idoneidade da entidade, conquistadas no decorrer destes 66 anos. São mais de seis décadas e meia onde, felizmente, temos muito mais a comemorar do que lamentar.
  Parabéns a todos os nossos associados, colaboradores de todos os setores, diretores e, também, a população de Pedrinhas Paulista por uma data que merece ser comemorada por todos, pois a CAP chega aos 66 anos em um momento privilegiado em estrutura e situação financeira.


  Mesmo em tempos de pandemia, Fábrica de Ração manteve alto volume de vendas

   Um dos destaques da Cooperativa Agropecuária de Pedrinhas Paulista é a sua Fábrica de Rações NutriCap que, recentemente, foi alvo de diversos investimentos por parte da Diretoria da entidade.


   De acordo com o responsável técnico pelo setor, Mauro Pacelli Nogueira de Souza, em todos os anos o aumento da compra de ração se dá no período de frio e estiagem, por motivo de pastagens fracas. Com a pandemia e a alta no preço final se esperava um volume de vendas menor, no entanto, o setor teve um ano muito bom, com produção média de 670 toneladas ao mês. No mês de outubro, por exemplo, foram produzidas cerca de 875 toneladas de ração, volume bem acima de 2019, o que mostra que a atividade pecuarista continua produzindo em alta escala.
  A Fábrica de Rações trabalha com rações para todas as fases das principais espécies de animais, como bovinos (corte e leite), suínos, equinos e aves (corte e postura). De acordo com Mauro Pacelli, na unidade se procura trabalhar com matérias primas superiores, pois só assim há a garantia de um produto final de qualidade. Dentre as principais matérias primas, são utilizados milho, farelo de soja, farelo de algodão 38%, farelo de trigo, farelo de milho, minerais, vitaminas, aminoácidos, etc.
   Todas são analisadas para garantir os níveis de garantia dos produtos.
   Para vendermos bem, precisamos comprar bem. No entanto, devido a diversos fatores como cotação do dólar, dificuldade de importação de alguns produtos e a alta das commodities como soja e milho, a matéria prima sofreu uma alta muito grande o que teve que ser repassado aos clientes. Por outro lado, também houve alta nos preços da carne e do leite o que ajudou os pecuaristas a se manterem na atividade. O pecuarista, neste caso, passa a ser o cliente do agricultor cooperado e se o produtor não preservar a saúde financeira do pecuarista ele deixará de adquirir seus produtos, porque simplesmente irá falir", explica.
  Algo que precisa ser evidenciado é que, mesmo com a alta nos preços da matéria prima, não houve alteração na formulação das rações NutriCap. Muitas vezes para ajustar o preço empresas buscam alternativas de matérias primas mais baratas para baixar custo de produção. Porém, isso reflete na qualidade final do produto. Na fábrica da CAP isso jamais ocorre.
   "Às vezes não conseguimos ofertar as rações com preços tão competitivos, mas prezamos pela qualidade do produto. Até porque estamos trabalhando com a produção de alimentos e queremos que o pecuarista tenha a melhor ração a sua disposição para que também oferte produtos da mais alta qualidade para a mesa dos seus clientes", explica Mauro Pacelli.
   Fábrica de Ração atende diversos municípios nas regiões de Assis, Marília, Presidente Prudente, Ourinhos, Tupã e algumas cidades do Mato Grosso do Sul e do Paraná. A Fábrica de Rações NutriCap é registrada e fiscalizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e seu registro é o de número SP-05259 do SIF (Serviço de Inspeção Federal).
   O setor conta com 18 colaboradores.

   Loja de Peças

   Setor da CAP é parceiro dos agricultores em momentos cruciais nas janelas de colheita e plantio

   As janelas de colheita e plantio estão cada dia mais estreitas e o produtor não pode perder tempo com máquinas paradas na lavoura. Por isso a Cooperativa Agropecuária de Pedrinhas Paulista tem à disposição dos agricultores uma infinidade de

peças que garantem rapidez e qualidade quando é realizada a manutenção ou reparo dos equipamentos.
   Segundo Wilson Camargo, Chefe da Loja de Peças da CAP, os cooperados tem à disposição mais de 9 mil itens de mercadorias, de todas as marcas de máquinas e implementos utilizados pelos associados, praticamente ao lado das lavouras da região, não sendo mais necessário viajar para buscar peças em outras cidades, já que o setor conta com quase de tudo o que o produtor precisa e em qualquer hora.
  Além da ampliação do espaço físico da Loja de Peças, também foi investido em novos equipamentos no local, como na máquina que promove a manutenção de mangueiras hidráulicas dos implementos agrícolas. A CAP também investiu na informatização da Loja, o que agilizou muito o atendimento aos cooperados que vão ao local em busca de itens para troca e consertos.
   Mesmo com a recente ampliação do barracão que abriga o setor, o espaço se tornou pequeno, pois com o lançamento de novos modelos de máquinas e implementos a necessidade de armazenagem aumentou.
   Segundo Wilson, com a pandemia da covid-19 muitas indústrias tiveram sua produção suspensa ou diminuída por falta de matéria prima importada, como o aço, por exemplo. Isso causou atraso na entrega de muitas peças. "Há empresas que entregavam com cinco dias e agora demoram mais de quarenta dias para entregar, pois não há matéria prima para produzir", explica.
  No entanto, mesmo com atraso de algumas peças, a equipe da CAP continua atendendo os cooperados com qualidade e horários flexíveis para que o produtor não comprometa a qualidade de sua lavoura, desde o plantio a colheita.

   Preços em alta

   Aos poucos economia vai dando sinais de recuperação e o Agronegócio, que nunca parou, vive excelente momento

   O momento do agronegócio brasileiro é muito bom. Nunca houve preços tão bons assim, comparados ao custo de produção e também aliados a altas produtividades, ou seja, a rentabilidade está muito boa.

   Em relação a atual safra de soja que está sendo plantada, os custos de implantação também estão na média e, caso der tudo certo, o produtor também terá uma boa rentabilidade.
   Na verdade, o produtor está vivendo um momento extraordinário. Isso tem levado muitos a renovarem sua frota, porque há uma necessidade constante de acompanhar as inovações.
  "As novas tecnologias vêm 'empurrando' o agricultor, e se ele não investir constantemente, em pouco tempo ele não consegue mais acompanhar a evolução, tornando difícil sua vida na propriedade", argumenta o presidente da Cooperativa Agropecuária de Pedrinhas Paulista, Franco Di Nallo.
   Segundo ele, até mesmo a economia dá sinais de recuperação. "É claro que há muitos setores que ainda não voltaram ao normal por falta de matéria prima. Fora o agronegócio, que não parou, os demais setores tiveram perdas significativas com a pandemia, e isso não é uma exclusividade brasileira, a maioria dos países está sofrendo com a falta de matéria prima", relata o presidente.
   As indústrias químicas ligadas ao agronegócio também não tiveram perdas porque tinham a justificativa de suprir a demanda das lavouras. "É claro que a população está sofrendo com a alta de muitos produtos alimentícios, mas o agronegócio trabalhou duro para suprir a demanda de alimentos. Podemos até pagar mais caro, mas nada faltou", finaliza Di Nallo.

   Modernização da estrutura da CAP

   Cooperativa de Pedrinhas investe em diversas melhorias para oferecer mais agilidade e segurança a associados e colaboradores

   O agronegócio não parou nem durante o período da pandemia de covid-19. E mais:


   surgiram inovações e novidades no setor, mesmo durante um período em que praticamente todos os setores ficaram estagnados. E a Cooperativa Agropecuária de Pedrinhas Paulista também precisa acompanhar esta evolução, porque a modernização gera um "efeito dominó".
   Quando o cooperado investe em novas tecnologias e inovação isso faz com que todas atividades se tornem mais eficientes e isso dá velocidade aos processos. No entanto, se a CAP não investe, ocasiona gargalos que comprometem todo trabalho.
  Pensando nisso a entidade investiu em novos tombadores para que o recebimento possa suportar a velocidade da colheita. "Não adianta o produtor comprar uma colheitadeira enorme, se o caminhão não consegue descarregar com rapidez na cooperativa e retornar à fazenda. O agricultor precisa aproveitar as janelas de estiagem para colher e armazenar sua produção com segurança", comenta o presidente Franco Di Nallo.
   Existem alguns setores da CAP que, no futuro, devem ser automatizados para melhorar a eficiência e também para modernizar a gestão dos processos, mas devagar vamos realizando as melhorias necessárias sempre com muita saúde financeira.

  Entreposto de Florinea
   A unidade recentemente foi realizada a substituição de elevadores antigos. O armazém de agrotóxicos passou por uma reforma efetuando as melhorias para que atenda as exigências legais de funcionamento.

   Entreposto de Laranjeiras
   Com a conclusão da pavimentação asfáltica na matriz, que foi alvo de muitos elogios por parte de cooperados e colaboradores, vamos realizar um estudo de melhoria na filial de São José das Laranjeiras (distrito de Maracaí). Inclusive o presidente Franco Di Nallo recebeu o projeto da obra no dia 28 de outubro e a realização da obra está em avaliação, mas deve ocorrer em breve, pois este tipo de realização traz muitos benefícios.
   Está em fase final de construção dois silos metálicos com capacidade para armazenagem de 150 mil sacas.
  "A filial de Laranjeiras é um orgulho para a CAP porque os cooperados têm sido muito bem atendidos por nossa equipe e o volume armazenado vem aumentando a cada ano. Esta crescente demanda nos levou a aumentar a capacidade estática com a construção de mais dois silos e modernizar toda estrutura. Inclusive, ela foi a primeira unidade a receber o sistema de combate a incêndio o que trouxe ainda mais segurança a toda equipe e aos cooperados", relata ele.

   Segurança levada a sério
   Sobre o sistema de combate a incêndios, quando a Diretoria da CAP foi informada de que teria que adequar suas unidades com esta melhoria, imaginou-se que isso seria muito complicado. Mas quando começaram as instalações, se percebeu que a operação era mais tranquila do que parece e todas as melhorias foram implantadas com tranquilidade. "Isso trouxe muita segurança a todos funcionários, cooperados e também aos profissionais que diariamente utilizam nossas dependências para o carga e descarga de produtos", relata Di Nallo.
  Além disso, agora a CAP conta com uma equipe de Brigada de Combate a Incêndios treinada e qualificada para atuar em qualquer incidente. Houve investimento em treinamentos constantes e, uma vez por mês, ocorrem os testes em todo o sistema para verificar sua eficiência. "Hoje vemos o quanto isso é importante, porque nos
   sentimos muito mais seguros agora. Infelizmente algumas melhorias somente são implementadas após terríveis tragédias, como a de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, por exemplo. Somente após aquela tragédia é que se obrigou todas as empresas a implementarem estes sistemas", comenta o presidente da CAP. Hoje todas nossas unidades contam com o sistema instalado, inclusive o Supermercado CAP, que foi o último a receber esta importante melhoria.

  Qualidade de sementes

   CAP prioriza alto vigor e germinação das sementes comercializadas, focando na excelência para grandes resultados de seus associados

A implantação da lavoura é fundamental para alcançar altas produtividades. Segundo França Neto, pesquisador da Embrapa Soja, o uso de sementes vigorosas assegura o estabelecimento de uma população adequada de plantas, mesmo sob condições estressantes. Estudo conduzidos por ele mostrou que a população originada apenas por sementes de alto vigor proporciona acréscimo superior a 35% no rendimento de grãos, em relação à população originada apenas por sementes de baixo vigor.
  Segundo o engenheiro agrônomo Domenico Vitullo, chefe do Departamento de Assistência Técnica da CAP, todo ano ocorrem problemas com intempéries climáticas e isso levou a cooperativa a adotar um sistema de análises da qualidade das sementes recebidas pelas empresas parceiras.
  "É um trabalho desenvolvido há tempos, mas a cada ano trabalhamos na melhoria deste processo para que o cooperado tenha certeza do padrão de qualidade quanto ao percentual de germinação e vigor da semente que está levando a campo. Isso é demonstrado por testes realizados no laboratório (que passa a ser o 'coração da CAP') e também em nosso campo experimental", comenta ele.
   Para o engenheiro agrônomo, esse processo é de fundamental importância, porque é com base nestas informações que o produtor define o número de sementes por metro linear para obter o estande de plantas/ha desejado.
   Segundo ele, a legislação atual obriga as empresas a comercializarem sementes com, no mínimo, 80% de germinação. No entanto quanto ao vigor não há parâmetro legal.
   Mas dentro dos critérios da CAP, toda semente comercializada precisa estar com percentual de germinação e vigor bem acima do mínimo recomendado pela legislação, tudo com o objetivo de levar a campo sementes com altíssimo potencial produtivo.

   Vitrine da CAP
   No mês de janeiro, o Campo Experimental da Cooperativa Agropecuária de Pedrinhas Paulista se torna palco do encontro de dezenas de cooperados, pesquisadores, engenheiros agrônomos e representantes comerciais que trocam informações sobre as inovações disponíveis para o campo.
   Neste ano os participantes puderam acompanhar de perto diversos cultivares de soja e híbridos de milho, além da performance de fertilizantes, inseticidas e fungicidas, tudo mostrado a campo, na realidade dos cooperados. Novas tecnologias embarcadas em diversas máquinas também chamaram a atenção dos produtores.
   No entanto, por motivo da pandemia da covid-19, o evento está cancelado para o ano de 2021. A equipe organizadora está estudando a possibilidade da realização de um evento de Safrinha, possivelmente no mês de junho de 2021.
   Os produtores não precisam ficar apreensivos porque toda equipe do Departamento Técnico da CAP está atenta aos lançamentos e inovações em todos os setores e levarão a campo em suas visitas tudo que há de mais novo no mercado.

COOPERATIVA AGROPECUARIA DE PEDRINHAS PAULISTA
COOPERATIVA AGROPECUÁRIA DE PEDRINHAS PAULISTA 2020
Todos os direitos reservados
Matriz: 18 3375-9000
sac@coopedrinhas.coop.br